domingo, 20 de maio de 2012

Ìbá Egúngún oo..




Cultuo meus "Ancestrais Ilustres" por que sei que eles não dormem, e certamente não me esquecem, em suas mãos esta a solução de todos os meus problemas.. Não há arvore que sobreviva sem sua "raiz", pois é ela quem mantém toda a arvore de pé. Da mesma forma compreendo que os Irunmoles e os Ancestres são parte ativa e integrante de minha existência neste plano, afinal sou o resultado da soma de todos aqueles que me antecederam. A compreensão "do que faço" e "por que faço", me mostrou que a ignorância dos homens cria "fronteiras", mas que elas não existem para as Deidades e Ancestres. Cultuar minha "Ancestralidade" não é o mesmo que me "Iniciar" no Culto Egúngún, posso muito bem louvar meus predecessores sem a necessidade de me tornar um "Sacerdote de Ancestrais / Ojé", afinal quem decide o que cada ser deve ou não fazer é a sua "Deidade pessoal", ou seja seu "Orí [Cabeça]", daí a necessidade de se buscar os desígnios individuais de cada pessoa através do Oráculo apropriado. Ninguém nasceu propenso ao infortúnio, ou "nasceu pra sofrer", se algo não anda bem hoje, certamente é por que algo proporcionou um desalinho em seu destino ontem, transforme então o seu possível infortúnio em equilíbrio e prosperidade tomando uma atitude mais equilibrada e coerente hoje.


Da mesma forma que "Mapas" não correspondem a realidade. Na vida, conhecer o caminho, não é o mesmo que trilhar o caminho..

As energias que habitam a dimensão supra-sensível são denominadas Irunmale e entre elas incluem-se os Irunmale - Divindades, associados à criação e cujo axé advém de emanações diretas de Olodumare e os Irunmale-ancestrais, associados à história dos seres humanos. Os Ancestrais masculinos, Irunmale-Ancestres da direita - Bàbá-Eégun - Têm sua instituição na Sociedade Secreta Egúngún. Em todas as crenças, os Antepassados são Cultuados e Louvados de alguma forma, nas Religiões de Matriz Africana ou Afro-descendente [Candomblé], como prefiram definir, cultuamos os nossos Ancestrais através do Culto Egúngún, e isso independe da Religião que estes tiveram em vida, por que o que importa realmente é que eu os honro, cultuo e louvo de acordo com a fé que pratico.

Estou aqui hoje por que certamente tive tataravô, bisavô, avô e pai, então certamente tive Ancestrais, e se os tive e não os honro, cultuo e louvo, estou renegando todos aqueles que me permitiram estar aqui neste plano espiritual, e é por causa disso que compreendi que o Culto aos Ancestrais é necessário para minha plenitude existencial. Já vai longe o tempo em que alguns menos informados, confundiam “oku òrún – morto comum” com Bàbá Eégun – Ancestral Ilustre”.

Fonte:http://www.vodoo-beninbrazil.info/br/claudio/egungun.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário