sábado, 1 de janeiro de 2011

ELOGIOS DE ỌRÚNMÌLÁ À PERSEVERANÇA

Ọrúnmìlá recomenda perseverança em tudo o que seus seguidores fazem. Eles não poderiam em sua
própria vontade vingar alguma ofensa feita a eles pelos outros. Ele não quer seus seguidores
envolvidos em ações diabólicas, especialmente aquelas que objetivam a destruição de outras
pessoas. Ele avisa nos poemas, que aqueles que tomarem as almas de outros, também pagarão com
suas próprias almas ou com as almas de seus filhos e netos. Ele insiste que a posição dele é a
melhor para proteger seus filhos, caso eles não resolvam tomar as leis da natureza em suas próprias
mãos. Ọrúnmìlá insiste em que se alguém planeja a morte contra seus filhos, ele certamente fará
com que a conspiração não tenha sucesso.
Contudo se seus filhos, revidarem planejando também a morte ou a ruína daqueles que o
ofenderam, Ọrúnmìlá rejeitará a justificação dos argumentos nos casos de cada filho, quando as
divindades se reunirem em julgamento sobre a questão. Nenhuma questão é estabelecida sem ter
sido determinada pelas divindades. Estas por sua vez, não condenam ninguém sem um julgamento
limpo. Mas se alguém adquire por preempção ao julgamento divino pela lei do retorno, olho por
olho, ele perde a justiça de sua causa. Ọrúnmìlá recomenda que seus seguidores tenham
conhecimento de qualquer um que queira planejar o mal contra eles, sua primeira reação será ir ao
oráculo a fim de descobrir se a pessoa terá sucesso.
Freqüentemente se o peso da culpa está dentro da outra pessoa, será dito que o inimigo não o
vencerá. Se por outro lado, o peso da culpa se inclina levemente contra você, você será Oríentado
durante a consulta oracular no sacrifício o qual deverá fazer a fim de que a conspiração maléfica
contra sua força pessoal não tenha sucesso.
Ao invés de fazer sacrifício, algumas pessoas preferem ainda os atos vingativos através da ida aos
feiticeiros para preparar remédios mortais, com os quais combater o inimigo. Em alguns casos, se
Ọrúnmìlá vê que o remédio que seu filho está preparando contra seu inimigo fará a ele algum mal e
o mesmo obterá repercussão dolorosa no desenrolar, ele neutralizará a força do remédio e o tornará
inútil.
Diante desta situação a pessoa forte começa a se questionar se o feiticeiro o enganou. Ele não o fez.
Ọrúnmìlá tem apenas demonstrado para seus filhos que destruir algum inimigo é destruir a si
mesmo. Se você aponta um dedo na direção do seu inimigo, os quatro restantes, os quais são em
maior número, e simbolizando o eco, estão apontando para você. Ọrúnmìlá ilustrará que alguém que
alguém que cava a sepultura de seus inimigos está ao mesmo tempo cavando sua própria. Este é o
motivo de que a oração freqüente de Ọrúnmìlá é para o bem dos amigos, inimigos, feiticeiras,
divindades, irmãos e irmãs, assim que por esta razão aqueles que lhe desejam mal talvez não o
alcancem.
58
Ele defende que é freqüentemente muito recompensador para você orar por um inimigo que está
planejando o mal contra você do que quando as divindades se unem para solucionar o caso, o peso
da probidade estará a seu lado. É melhor ter o suporte das divindades em uma certa situação do que
atrair sobre si a sua reprovação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário